Inbound e o Terceiro Setor

Inbound e Terceiro Setor

Dentro do Terceiro Setor estão as ONGs, entidades filantrópicas, OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) e organizações sem fins lucrativos de qualquer espécie. Ao associarmos o Inbound a tal entidades, não fica claro como a metodologia do Marketing Digital pode ajudar na visibilidade dessas organizações.

O Inbound Marketing é uma necessidade que as entidades sem fins lucrativos precisam explorar melhor. É através dessa metodologia que a visibilidade da causa pela qual a organização luta pode ter muito mais adeptos.

Não é raro surgirem e-mails na nossa caixa de mensagens sobre pedidos de doações, no entanto a maioria das instituições não se preocupam em esclarecer para onde o dinheiro doado foi investido, causando certa desconfiança em futuros doadores.  O Inbound vem para auxiliar justamente nesta questão, em mostrar a causa além do seu valor, ou seja, ir além do interesse da causa, mostrando como isso está sendo investido.

Existem várias formas de ajudar na visibilidade de ONGs e entidades sem fins lucrativos, todas elas têm em comum mostrar a causa além do interesse através de incentivos midiáticos importantes. Para o Inbound no Terceiro Setor é necessário esclarecer o processo como um ”marketing de relacionamento”, ou seja, sempre retornar ao doador como o dinheiro dele está sendo utilizado através de newsletters, e-mail marketing entre outros.

Listamos abaixo algumas atitudes de marketing relacionamento para o Inbound dar certo no Terceiro Setor:

Geração de Leads

É essencial ter um banco leads para iniciar o processo do Inbound. Esses leads podem ser gerados através dos canais de mídia digital da empresa, por isso é muito importante manter esses canais atualizados e com conteúdos interessantes para o leitor.

E-mail Marketing para os Leads

Ao enviar e-mails agradecendo o interesse em participar da causa para os leads, colocando o depoimento de alguém que foi ou está sendo ajudado pela instituição, é uma forma de mostrar ao doador como a doação dele irá ser utilizada. São nestes e-mails que as doações são feitas através de links ou botões referentes aos valores desejados para doação.

Segmentar os doadores

Nem sempre a pessoa irá até a finalização da doação, por isso manter um feedback sobre esses leads e encaminha-los para um teleatendimento, para saber o por que a doação não foi finalizada e assim melhorar para experiências futuras.

Já para os doadores que finalizam a doação, o envio de e-mails de agradecimento, colocando em foco como essa atitude vai contribui e impactar na causa da entidade, é uma maneira de fazer o doador sentir-se reconhecido.

 

O contato tem que ser continuo para ambos os segmentos de doadores, para os que não finalizaram a doação o envio de conteúdos sobre a importância que a causa tem, como a contribuição dele faria a diferença, é uma forma de não perder esse lead e tornar a doação atrativa para ele. A comunicação com esse segmento de doador pode ser realizada quinzenalmente através de e-mails.

Para os doadores, enviar pesquisas de satisfação para entender se estão sentindo-se valorizados e assim, transformar doadores pontuais em recorrentes. Um doador satisfeito pode incentivar outras pessoas a doarem e assim sua causa ganhar mais adeptos.

Conheça nosso Guia para conseguir 10 mil dólares por mês com o Google Grants

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *